Forte de S. António da Barra, Estoril

Fórum do Património vai acompanhar o desenvolvimento do projeto de valorização 

A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS AMIGOS DOS CASTELOS (APAC), a ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE CASCAIS (ACC), a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS CASA ANTIGAS (APCA) e o GECoRPA - Grémio do Património, requereram em janeiro de 2018  ao Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa uma providência cautelar contra os Ministérios da Defesa Nacional, das Finanças e da Cultura, tendo em vista intervir com urgência no sentido de travar a situação de completo abandono e de exposição à vandalização e pilhagem em que se encontrava o Forte, 

Esta iniciativa resultou e a inspeção judicial que se seguiu forçou o Ministério da Defesa Nacional a celebrar rapidamente o protocolo com o Município de Cascais no dia 13 de março de 2018.

Invocando o direito de participação que lhes assiste enquanto associações de defesa do património cultural, a APAC, a ACC a APCA e o GECoRPA requereram ao Sr.Presidenta da Câmara a perticipação em procedimentos administrativos que venham a ser abertos pelo Município de Cascais quer em matéria de empreitadas de obras públicas a realizar no Forte quer em matéria de futuras utilizações do mesmo,

Pretendem as associações, em colaboração com o Município de Cascais, assegurar, logo na fase de estudos e projetos, soluções para o Forte de Santo António da Barra que assegurem a preservação da sua identidade histórica, arquitetónica e cultural e que permitam que a sua utilização pelo público.

Veja o vídeo da SIC que marca o início da intervenção das associações: