ONG do Património avançam com ação contra as Reitorias das Universidades de Lisboa e do Porto

Em causa está a destruição duma placa evocativa no edifício Ventura Terra, em Lisboa.

Este edifício, Prémio Valmor, situa-se na R. Alexandre Herculano, 57 em Lisboa e foi deixado em testamento às Escolas de Belas-Artes de Lisboa e do Porto pelo arquiteto e proprietário, Miguel Ventura Terra (1866-1916).

No passado dia 11 de março, a mando dos atuais proprietários, uma lápide evocativa da doação do edifício foi arrancada da fachada principal e acabou reduzida a entulho, alegadamente por acidente.

Ventura Terra desenvolveu intensa atividade como arquiteto, com destaque para a intervenção, ainda muito novo, nas obras realizadas no Palácio das Cortes após o incêndio de 1895, com o desenho da nova e atual Sala das Sessões, o projeto da Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, para além do projeto de inúmeros edifícios de habitação.

A ação, sob a forma jurídica de "denúncia criminal", foi desenvolvida por um escritório de advogados e entregue ao DIAP de Lisboa no passado dia 19 de março, numa iniciativa conjunta da Associação Ventura Terra e do Fórum Cidadania Lx, com o apoio doutras associações de defesa do Património Cultural Construído agregadas no Fórum do Património e de vários cidadãos que se interessam pela causa.

O Fórum de Património, que reúne atualmente cinquenta ONG subscritoras, promove o recurso aos instrumentos da tutela jurisdicional para impedir a desvalorização e, ao limite, a destruição do Património Cultural Construído