Património em risco na Sé de Lisboa

Um projeto de musealização da Sé Patriarcal de Lisboa, demasiado pesado e intrusivo, tem vindo a provocar danos irreparáveis no património arqueológico subjacente ao claustro gótico oriundo dos séculos XIII e XIV . O empreendimento inclui o desmonte de várias estruturas pertencentes à mesquita construída no local durante a ocupação islâmica e a sua colocação noutro local, uma prática abandonada há muitas décadas pelas normas internacionais. Recorre, além disso, à utilização profusa do betão armado e de enormes vigas de aço de grande secção, descarregando sobre as alvenarias medievais ou sobre estacas de aço e cimento que perfuram não só o que resta da antiga mesquita, como todos os níveis arqueológicos subjacentes. A solução proposta tem a oposição não só dos arqueólogos envolvidos e docentes universitários ligados à arqueologia, mas também do ICOMOS Portugal e de várias associações e grupos de cidadãos do Fórum do Património. Paradoxalmente, o projeto tem contado com o beneplácito da Direção-Geral do Património Cultural.  

Embora tardiamente, dado que a obra se encontra já em fase avançada, o Ministério da Cultura, suspendeu os trabalhos, com vista à proteção e conservação das estruturas arqueológicas descobertas no local e convocou uma reunião da Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura (SPAA-CNC). 

Vê os vídeos

Fotos